Innovability e a Recuperação Verde

Postado dia 09 / 10 / 2020
por umgrauemeio

Os últimos meses transformaram nossas vidas. O cenário que o futuro desenhava chegou mais depressa do que prevíamos, e as transformações no modo como trabalhamos e aprendemos mudaram de forma definitiva. Não existe mais volta ao velho normal e nesse ambiente propício para transformações, a adaptação e a criatividade são elementos cruciais para nossa sobrevivência.
Nesse momento, organismos e empresas apostam na “Recuperação Verde”, em virar a chave da economia dependente de carbono para a economia livre de carbono. A convergência dos conceitos de inovação (Innovation) e sustentabilidade (Sustainability) ocorre num sentido de urgência, uma necessidade de repensar nossos modelos mentais, nossos dogmas e a forma como lidamos com o mundo a nossa volta.
Já temos em mente que as mudanças climáticas alteram radicalmente o modus operandi da economia global. A Humanidade, e naturalmente as Empresas têm de inovar para sobreviver. Se reinventar constantemente lado a lado com o meio ambiente. Inovação não pode trazer impacto negativo ao meio ambiente, senão, não é inovação. Eis ai o conceito raiz de Innovability.
A inovação tem de ser vista em várias dimensões, para além da mera inovação tecnológica. A inovação ambiental, procura resolver o grande desafio que é ter 7 bilhões de pessoas – que serão, ao que tudo indica, 9 bilhões daqui a 40 anos – desgastando os ecossistemas e pressionando a natureza para seu desgaste total, causando consequências que para nós seriam fatais. Não existe Planeta B e consumir várias vezes mais o que o Planeta pode prover não parece nos levar a um caminho de
prosperidade e longevidade.
Propostas de “Recuperação Verde” dão visibilidade para questões em setores-chave da economia brasileira – tais quais a agricultura, o setor elétrico, florestal e infraestrutura urbana, que têm olhado para o ESG e para inovação de baixo carbono em busca de readaptação em um mundo cada vez mais quente.
Sustentabilidade hoje, preserva o nosso amanhã e deve ser ágil para aprender com o futuro emergente, descrito na Teoria U de Otto Scharmer do MIT “ Através da mente, do coração e das mãos iremos construir o futuro emergente, aprendendo conforme fazemos pois o futuro se apresenta distinto ao que foi o passado.”
A partir do momento que excedemos a capacidade do Planeta com nossas demandas por recursos naturais, a regeneração dos ecossistemas e mudança no modelo econômico entram em risco e pedem novos movimentos e forma de enxergar com visão renovada, por exemplo a “Doughnut Economics”, idealizada por Kate Raworth, passa a ser nossa responsabilidade.
Criar soluções que possam apoiar a regeneração do Planeta de forma sustentável, a partir de ações que respeitam o meio ambiente irão garantir a sobrevivência humana na Terra e regeneração da Vida. E essa é a principal missão de nossa geração e estamos de mangas levantadas para fazer acontecer.

Últimas postagens

Na umgrauemeio, o algoritmo que combate incêndios florestais

Na umgrauemeio, o algoritmo que combate incêndios florestais

Fundada em 2016, startup se prepara para fazer sua primeira rodada de captação, de olho também no mercado internacional Matéria original publicada na Capital Reset. Um sistema proprietário que emprega inteligência artificial permite à Um Grau e Meio, antiga Sintecsys,...

Algoritmo Contra O Fogo

Algoritmo Contra O Fogo

“Quando começa todo incêndio pode ser apagado com uma pisada”, comenta o nosso CEO Rogerio Cavalcante nesta matéria para Época NEGÓCIOS.    

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

PortuguêsEnglishEspañolFrançais